TITULO_ARTES_RUPESTRES.jpg

Algumas das imagens evocam a arte abstrata ou os grafites das grandes cidades do século 21; outras capturam com precisão insuspeita animais e plantas em cenários com milhares de anos. Essa variedade de temas e estilos é um dos fascínios da arte rupestre que floresceu nas cavernas do período pré-histórico.

Você conhece algum local com arte rupestre? Sua informação é valiosa. 

Clique aqui e mande seu e-mail.

 

Clique na imagem para ampliar !

faixa_tribal.gif

Lapa do Ballet - Matozinhos MG
Clique nas imagens para ampliar!

Toca do Índio - Andrelândia MG

Clique nas imagens para ampliar !

O Carste do Alto São Francisco é uma das áreas com maior concentração de sítios arqueológicos.

Pinturas do sítio Posse Grande, no município de Pains - MG.

Lapa da Zilda - Carrancas MG

Clique nas imagens para ampliar!

Paredão da Pedra Pintada - Cocais MG

Clique nas imagens para ampliar!

Lapa da Bonina - Monjolos MG 

Todos os painéis rupestres da Lapa da Bonina são constituídos por gravações confeccionadas em baixo relevo através da técnica de picoteamento da rocha. Neste abrigo não há pinturas. ​

Diamantina - MG

Capivari - Serro
Fotos:  

Diamantina MG

Em Diamantina MG está localizado o Parque Estadual de Beriberi. Nesse Parque há um conjunto de figuras rupestres pintadas em vermelho em bom estado de preservação.
Clique nas imagens para ampliar!

Vale do Peruaçu - Januária MG

Abriga mais de 140 cavernas, mais de 80 sítios arqueológicos e pinturas rupestres, além da tribo indígena dos Xakriabás.
Clique nas imagens para ampliar!

Lapa dos Gentius

Conceição do Mato Dentro - MG
Clique nas imagens para ampliar!

Conceição do Mato Dentro - MG
Fotos: Paulo Baraky Werner
Clique nas imagens para ampliar!

Serranópolis GO
Fotografias: J.A. Fonseca

Montalvânia MG

Clique nas imagens para ampliar!

Sítio Cerca Grande - Matozinhos MG

Fotos: Paulo Werner e Paulo Bastos

Sítio Vargem da Pedra 
Matozinhos MG

Fotos: Paulo Werner e Paulo Bastos

A Lapa da Sucupira está localizada as margens do Rio Parauninha, é um dos mais importantes sítios arqueológicos da Serra do Cipó. A área é repleta de inscrições rupestres, algumas datadas de mais de 8 mil anos, sendo de expressivo valor para os estudiosos. São inscrições que retratam animais como veados, peixes , desenhos geométricos e desenhos de figuras humanas. As pinturas apresentam cores que vão do vermelho, ocre e até branca.Segundo o arqueólogo francês André Prous, chefe da equipe de Arqueologia da UFMG, há evidências de que as inscrições são obras de homens primitivos que viveram nessa região. 
O risco de depredação destas inscrições , no entanto, é muito grande, tendo em vista que o sítio arqueológico encontra-se fora de proteção, sofrendo a ação de vândalos e pessoas sem consciência de sua importância histórica.